domingo, 21 de fevereiro de 2016

O MUNDO MODERNO





 No nosso mundo moderno, são inúmeras as teorias criadas com o fim de resolver de vez os problemas da humanidade. Estudiosos debruçam-se sobre textos antigos, e com freqüência anunciam conclusões de impacto. Já outros mais afeitos aos estudos científicos, publicam, a cada momento, brilhantes descobertas nos diversos campos das ciências físicas e sociais. A cada anúncio espalhafatoso, tem-se a impressão de que a humanidade está, finalmente, às vésperas de resolver seus problemas e de que uma nova era de ouro irá se abrir à nossa frente. No entanto, as pessoas continuam matando-se em lutas e guerras sem sentido, pelos motivos mais torpes e razões as mais inconfessáveis.

Exemplares da Bíblia são distribuídos aos milhões, em todos os idiomas, em todas as partes do mundo e igrejas neopentecostais se multiplicam a cada dia. Apesar disso, o ser humano ainda é o grande predador da sua espécie, indiferente à mensagem sublime contida no livro sagrado que lhe enfeita a mesinha de cabeceira.

A ciência médica alcança níveis impensáveis, ainda há poucos anos. Aparelhos sofisticados permitem explorar em detalhes o organismo humano, para investigar as doenças mais diversas. Entretanto, o espírito, fonte da saúde e da enfermidade, continua mergulhado em trevas e é, para ele, em vão, que se busca a cura nos antibióticos, ou na engenharia genética.

Os meios de comunicação alcançam progresso inimaginável. As redes de dados permitem acesso imediato aos lugares mais remotos da Terra e mesmo do espaço interplanetário. Mas o diálogo entre pais e filhos, entre marido e mulher, irmãos, nunca atingiu níveis tão baixos. A quantidade de informações sobre todos os temas aumenta de forma extraordinária, disponibilizada para grande parte da população, a um simples teclar de botão. Apesar disso, a ignorância ou a falta de moral e o egoísmo flagelos maior da humanidade, campeiam como nunca, mesmo entre aqueles que têm acesso aos terminais mais avançados, porque a avalanche de informações não significa aquisição de conhecimentos e muito menos  sabedoria e fraternidade.

Observa-se que as conquistas estão em todas as áreas. Tudo está evoluindo muito rapidamente, trazendo mais facilidade e conforto, melhor qualidade de vida ao habitante do planeta. Menor dor física, longevidade ampliada, condição material cada vez melhor, tecnologia fascinante, especialmente na área da comunicação, da informática e da medicina entre outras muitas conquistas. E mesmo as noções de ética, justiça, fraternidade, atingem patamares antes nunca alcançados no mundo. Já é a aurora do mundo de regeneração, promovendo o progresso da humanidade. Apesar de todo esse avanço, de todo esse progresso, a humanidade continua com problemas insolúveis e outros que vão surgindo em conseqüência desse progresso material. Entre eles, estão as questões relacionadas com: 1- abortamentos; 2- células-troncas embrionárias; 3- Desmatamento da floresta Amazônica; 4- Eutanásia e ortotanásia; 5- Fanatismo religioso; 6- Homossexualismo; 7- Impunidade e corrupção; 8- Violência e criminalidade. Em entrevista concedida ao jornal eletrônico “O Consolador”, José Raul Teixeira, espírita, médium, orador e divulgador da Doutrina Espírita, ao lado de Divaldo Franco, se propôs a debater esses assuntos, que tratamos a seguir:

 1- Abortamento – Segundo a Drª Marlene Nobre são realizados cerca de 60 milhões de abortamentos por ano no mundo. Esse quadro, diz Raul, é deplorável e se deve à cultura materialista que ganha novas adeptas a cada dia em nossa sociedade. Mesmo famílias rotuladas de cristãs, fazem parte desse grupo. Tudo o que tem sentido e valor atualmente, para muitos pais, são o dinheiro, os títulos e as posições sociais que desfrutam no mundo. Tudo o mais fica em segundo ou terceiro plano, inclusive o filho que a mulher carrega no ventre. Essa visão materialista leva muitas pessoas a menosprezar a excelência da existência, cometendo crime hediondo perante a Lei Divina e sua própria consciência, porquanto é um crime o aborto cometido contra um ente que não pode se defender. A mensagem de Jesus foi dirigida a todas as pessoas. Vivendo dentro da lei, como pessoas de bem e fazendo esforços para dominar as más inclinações, nós estaremos contribuindo na diminuição desse horrendo espetáculo de desapreço pela vida, principalmente, de um ente que é carne da nossa carne.

2- Células-troncas embrionárias – Há muitos debates sobre esse assunto. É comum que os religiosos evoquem para si o direito de atuar nas suas crenças como bem o desejem, sem admitirem qualquer intromissão de cientistas que se oponham aos seus intentos, quase sempre distanciados dos ensinamentos de Jesus. Afora os posicionamentos políticos, laboratoriais e comerciais, que costumam estarem presentes nessas discussões, que costumam fazer lobbies. Raul diz que, aos religiosos caberia propagar a realidade espiritual do ser humano, trabalhando na educação moral das pessoas; deixando àqueles que assumem responsabilidade perante a Ciência, o labor que lhes cabe. Sempre encontraremos abusos que à justiça caberá questionar e corrigir, evocando os preceitos éticos... Entendo que devemos respeitar o grande número de pesquisadores que têm oferecido seu tempo e suas existências, em prol de uma sociedade melhor, ao realizarem suas pesquisas e seus trabalhos. O espírito de Camilo tem dito que muitos desencarnados, saídos do mundo em situações de conflitos e sofrimentos, são visitados e indagados quanto ao interesse de servir de instrumentos ao progresso da ciência, e se apresentam para animarem embriões que se prestarão às pesquisas. É verdade que nem todos os embriões, nas fases iniciais, estão ligados a espíritos, mas outros estão animados, servindo de “cobaias” nas atividades.

Há por outro lado uma questão que querem calar.  Por que, defesas tão extremadas contra os embriões, enquanto não há a mesma disposição pelas crianças, mal nascidas, abandonadas e ao Deus dará?  Por que ninguém solicita aos laboratórios que possuem os embriões, alguns deles para filho? Diante dos que são jogados fora, após o período exigido por lei, por que ninguém reclama algum para ser implantado na condição de filho, de modo a salvá-lo da destruição?

3- Desmatamento da floresta Amazônica – O desmatamento da floresta caminha acelerado e uma das causas alegada é a pecuária, em virtude de ser o Brasil um dos maiores exportadores de carne bovina. O problema do desmatamento, diz Raul Teixeira, não tem por vilões os rebanhos de gado, mas o egoísmo e o cinismo de vastas lideranças políticas que fazem “vista grossa”, em virtude dos interesses de grupos que estão em jogo. Tanto é feito o desmatamento para a criação de gado, para a plantação de soja e outros produtos, como também para a extração das madeiras e minerais. Enquanto os nossos governantes fazem de conta que não estão sabendo, muitos espertalhões mancomunados com políticos inescrupulosos e gente envolvida nos órgãos públicos roubam a madeira nobre e fazem a extração ilegal de minérios e a pirataria da biodiversidade da flora medicinal, com a tendência de ficar pior. Vejamos o caso dos japoneses que vieram ao Brasil, colheram e levaram algumas frutas tropicais e patentearam como produtos genuinamente nipônicos. Enquanto nossos governantes fizerem “vista grossa” para as ONGs plantadas na Amazônia, aculturando nossos indígenas, sem interesse de prestar nenhum serviço ao nosso país, por que não se oferecem ou se instalam no sertão nordestino, onde a seca, a fome e alguns “coronéis” impedem que essa situação seja sanada? Enquanto essa situação perdurar a exploração das nossas riquezas continuará a ser praticada. Acusar o gado ou a soja do desmatamento é muito mais fácil, deixando de lado o mais grave da questão.

4- Eutanásia e ortotanásia – A eutanásia, e recentemente a ortotanásia não tem amparo na Doutrina Espírita.  Segundo Raul Teixeira, o mais importante será sempre o uso do bom-senso, pois uma coisa é deixar a pessoa morrer naturalmente, quando sua vitalidade vai baixando de nível como uma chama que vai se apagando. Porém, ver alguém sofrendo e não lhe aplicar qualquer sedativo ou medicamento, deixando-o morrer em meio ao desespero ou à dor intensa, é uma crueldade. Nem a eutanásia (prática pela qual se abrevia sem sofrimento a existência de um doente incurável, em fase terminal) nem a ortotanásia, quando fuja ao bom-senso é aconselhável. Que os conhecimentos dos médicos possam ajudar os que se acham à beira da desencarnação, facilitando-lhes um tranqüilo retorno à Espiritualidade, sem comprometimento negativo dos familiares e dos profissionais.

5- Fanatismo religioso – O fanatismo de qualquer natureza está sempre vinculado á ignorância e a falta de conhecimento, que são os maiores defeitos do ser humano. Quanto menos as pessoas se interessam pelo conhecimento, muito mais facilmente vão se fanatizar, uma vez que o fanatismo é sempre uma conseqüência da crença irracional de quem não sabe, mas que bate no peito admitindo saber. Ainda bem que o fanatismo religioso, com as exceções, está desaparecendo do mundo.

6- Homossexualismo – Como é vista a oficialização de casamentos entre homossexuais, e a adoção de filhos por parte deles? – Consideramos que qualquer oficialização que se estabelece no mundo, corresponde à formalização de situações que já existem de fato, que precisam ser normalizadas para evitar distorções nos julgamentos de situações, em respeito ao conceito formal de justiça. Assim, ao falarmos da oficialização de casamento entre pessoas do mesmo sexo, é que essas pessoas já estão unidas sem qualquer formalização, deparando-se com problemas que exigem um pronunciamento e a regulamentação pela lei. Não há como fazer “vista grossa” ou fazer de conta que tal coisa não existe, porque não há lei que possa impedir que duas pessoas do mesmo sexo tenham uma existência em comum, que se entendam, que se cuidem ou que venham a se amar. Sobre este assunto, existe um comentário mais completo no artigo “Os Seres Humanos e o Sexo”.
Agora no que diz respeito à adoção de crianças que vivem  nas ruas, ao abandono, sujeitas a todos os perigos, ou em instituições que, por mais respeitáveis que seja, não conseguem se converter num lar; ou ser amparada pela generosidade e pelo carinho de duas pessoas do mesmo sexo que vivem juntas, qual a melhor opção?

O espírito de Camilo sempre ensinou a Raul Teixeira que o amor, em si mesmo, não tem sexo e que é muito valorosa a atitude de quem quer que seja que se dedica a adotar uma criança. Somente a hipocrisia ou a indiferença para com a criança abandonada ou órfã, pode criar impedimento para tal adoção... Sabemos também que o espírito pode existir na Terra, tanto como masculino ou feminino, trazendo gravado em seu perispírito, situações que influenciaram seu modo de viver.

7- Impunidade e corrupção – A corrupção é filha da impunidade, irmã do egoísmo. A impunidade campeia em todos os pontos do País, desafiando todos os governos que sempre se mostraram impotentes para combatê-la. Em virtude do nosso atraso espiritual, a corrupção se alastrou também por todos os lados, até mesmo nos poderes executivo, legislativo e judiciário, onde os exemplos de alguns, são imitados e seguidos por parte da população, em todos os níveis da sociedade. A corrupção desenvolve o egoísmo no ser humano, porque ao querer se beneficiar e levar vantagem a qualquer preço, através dela está tirando ou prejudicando um direito de outro. Para as pessoas que se servem tanto da corrupção como da impunidade, quando às leis e a justiça dos homens falha, sabemos que a Justiça Divina está a caminho, para punir os que agiram mal e os que se omitiram nas providências que deveriam tomar para coibi-los.

8- Violência e criminalidade – Sabemos pelas informações da Espiritualidade que estão reencarnando, há algum tempo, no planeta, muitos Espíritos evoluídos, para fazerem a transformação do mundo e também outros ainda inferiorizados que estão tendo suas últimas oportunidades de se reabilitarem. Torna-se fundamental os cuidados e os exemplos para a educação deles, a fim de que possamos orientar e educar esses espíritos, que são vítimas, muitas vezes, da incúria ou do desmazelo dos seus pais, que estão mais preocupados com o sucesso social do que com a felicidade dos filhos. Chico Xavier, certa vez comentando sobre a violência, disse: “O que mais dói ver na periferia das cidades, não é tanto a fome, mas a ignorância; porque a ignorância é que é a responsável pelos arrastões. Se pudéssemos, ao invés de distribuir sopa, gostaríamos de distribuir trabalho. Se pudéssemos criar escolas edificaríamos e instituiríamos cursos diversos profissionalizantes, procurando tirar das ruas, que são as Universidades do Crime,  essas crianças, resolvendo o problema da miséria social e moral que nos desafia.”

Por que há tanta violência no mundo? – A violência atual é própria de um mundo de provas e expiações. Muitos indivíduos ainda se deixam dominar por seus instintos inferiores e cometem crimes porque não têm consciência do bem ou do mal, assim como o desconhecimento da vida espiritual colabora para o desequilíbrio emocional e moral de muitos, que se deixam envolver pelo mal. A banalização da violência nos jornais e na mídia reforça condutas agressivas e só tem destaque porque tem audiência significativa. A violência física nos lares é produto da vibração prejudicial das novelas que estão cheias de exemplos negativos. Como autoeducação, vamos deixar de sintonizar esses programas de baixo nível, baixarias e voltados para o  mal, escolhendo melhor o que entra em nossos lares. Quando não tivermos na TV um programa que possa nos instruir ou educar, outras opções existem para ocupar nosso tempo, inclusive, a leitura ou a conversação com os familiares. O aparente caos que se verifica na atualidade apenas demonstra o desespero dos que se recusam a aceitar a força do bem e da fraternidade. Eles serão vencidos pela marcha inevitável do progresso que se está desenvolvendo, pois é fruto do amadurecimento moral e intelectual das novas gerações.

Se o progresso material espanta-nos, diariamente, e o aprimoramento apresenta-se mais lento, isto indica que falta-nos apenas a decisão individual de mudar no sentido do bem, de vencer as tendências inferiores, de lutar por ser melhor a cada dia, respeitando o semelhante e seus direitos. Todo esse conforto material trará condições para que a criatura humana tenha mais tempo para dedicar-se ao seu autoconhecimento e, verificando isso, interessar-se mais pelo amparo aos que se encontram ainda em situações difíceis de sobrevivência na Terra, fazendo assim a sua evolução.

Quando poderíamos imaginar ao tempo de Kardec, ou mesmo até a poucos anos atrás, o potencial das comunicações e da Internet? Quando poderíamos imaginar que discos magnéticos poderiam armazenar imagens, sons e movimentos, transformando-se em arquivos úteis e poderosos para uso de todos? Quem poderia imaginar a existência dos celulares e outras utilidades na atualidade? Falta, entretanto ao ser humano, acompanhar esse progresso e efetivamente mudar sua existência para melhor. Aprimorar os sentimentos, os relacionamentos, reconhecer nossa condição de seres espirituais, e o simples conhecimento da nossa imortalidade já nos deve provocar mudanças de comportamento.

Entretanto, o excesso de tecnologia que já existe no mundo, como uma verdadeira parafernália de instrumentos que lentamente vão substituindo o próprio ser humano, vem anulando-lhe a capacidade de pensar, raciocinar e agir. A comunicação virtual, diante do computador, isolando a pessoa do mundo de relacionamento humano, ajuda-o a sonhar e, em delírios inconseqüentes, faculta-lhe viagens para fora, em conquistas afetivas, porém, distante das pessoas, sem uma correspondente convivência saudável, afetiva e emocional. A imaginação passa a substituir a relação pessoal, sentimental, fantasiando a mente com a necessidade de encontrar o parceiro ideal, sem a preocupação de, por sua vez, tornar-se esse companheiro para aquele a quem busca. Lentamente uma grande aridez está tomando conta do sentimento humano, produzindo á dolorosa e lamentável crise existencial que se observa nas pessoas. Essa situação está trazendo sérias dificuldades para o relacionamento humano...

Por outro lado observamos que o País vive entregue à corrupção, à impunidade, à desordem, à vontade dos grupos dominantes, levando ao desespero milhões de pessoas dominadas, que não encontram condições de sobrevivência. Se alguém se incomoda com essa situação desastrosa, sem perspectiva, sem esperança para milhares de pessoas, e emite opinião contrária, logo surgem os defensores do regime vigente e de suas posições privilegiadas. Lamentavelmente, não vemos condições de melhoria a curto ou médio prazo, dessa situação caótica, a não ser que surja um verdadeiro líder nacionalista que empunhe a bandeira da renovação moral, ou que de repente surja uma medida Celestial, para nos desviar do abismo para onde estamos sendo levados.

É natural que busquemos solução para os tormentos que  nos  afligem,  porém,  grande parte da sociedade se tornou imediatista, o que fez com que procurassem soluções rápidas, fáceis e sem esforço. Por causa disso, aparecerem espertalhões que prometem resolver todas as situações infelizes, como: amores não correspondidos, fortuna terrena fácil, curas milagrosas, e até lugares especiais no céu ao lado de Deus, desde que se tenha dinheiro para pagar, porque dizem que esse mesmo deus, deles, não dá nada de graça para ninguém.

A crescente falta de estabilidade, ameaçando o emprego de quem ainda o tem, fragilizando os laços de família, promovendo o aumento da marginalidade, associado a esse imediatismo, mostram que o processo de desagregação tende a aumentar, tornando-se uma epidemia global. O momento reclama de todos nós mudanças, moralidade, trabalho e acima de tudo, confiança na Providência Divina.

Há necessidade de nos prepararmos para mais tempos de adversidades, onde o bem será esquecido e o mal aclamado. É a crise que foi predita por Jesus. Hoje, mais do que nunca, precisamos manter a nossa fé e a esperança em Deus, para suportarmos esses tempos difíceis. Só com o amparo de Jesus, conseguiremos superar essas aflições e cumprir nossas tarefas de cristãos, até que a transição que trará mudanças necessárias conduza o mundo para uma nova ordem, fundamentada na moral e no amor, ensinados e vivenciados por Jesus.

Que a Paz do Senhor nos ampare nessa transição para que possamos nos manter fiéis aos nossos compromissos.


Bibliografia:
Jornal “A Voz do Espírito”
+ complementos

Jc.
S.Luis, 29/6/1999
Refeito em 20/1/2016                                                                                                                             

Nenhum comentário: