quarta-feira, 14 de outubro de 2015

DINHEIRO, TRÁS MESMO SAÚDE E FELICIDADE?






  O dinheiro possibilita à pessoa ter conforto, bem-estar, luxo, bens terrenos e comodidades, porém não dá a paz, a saúde nem a felicidade, e ainda, não evita a velhice e a morte. A riqueza, sem dúvida, exerce uma vertigem e uma fascinação que provoca ás paixões, excitando o orgulho, o egoísmo, a vida sexual, sendo ás vezes, até instrumento de crimes e de perdição Deplora-se o uso que certas pessoas se sacrificam e fazem de tudo para conseguir a fortuna e mais lamentável ainda é o uso que alguns fazem dela,  utilizando-a para prejudicar e causar males aos seus semelhantes. Porém, bem empregada, a riqueza concorre para o progresso e o bem-estar da Humanidade contribuindo ainda no processo moral e intelectual das pessoas. Sabe-se que os bens da Terra pertencem a Deus e o ser humano é apenas o usufrutuário desses bens, por um determinado tempo. Essa é a razão da riqueza estar sempre mudando de mãos.
A felicidade talvez seja uma das maiores ambições do ser humano.  Mas, como descrevê-la?

A felicidade acontece aos que permitem senti-la na alma, aos que querem fazer mais do que apenas viver.  Encontramos a felicidade nas crises de riso, nas lágrimas de alegria e contentamento, nas músicas especiais que nos envolve de emoções, que nos trás à memória, recordações agradáveis.

A felicidade está na saudade dos que se foram; na companhia de amigos e também num grande amor.  A felicidade não se compra e não se vende, nem é trocada, pois é um sentimento das pessoas.  Busque sua felicidade onde quer que ela esteja; mesmo além do horizonte.

existe na Natureza, nos olhos de uma criança, na lembrança do ancião, no sentimento de uma mãe. Peça para a existência, dose extras de dias felizes. Ela é encontrada também nos sonhos, nas sensações prazerosas e nos desejos, contribuindo sempre para que você seja feliz.

Vejamos dois casos que ocorrem com duas pessoas.
João tem 40 anos, é obeso e respira com dificuldade. No emprego, onde ganha bem, fica sentado o dia inteiro. Almoça rapidamente (em geral, comida nada saudável).Transporta-se só de carro e fica nervoso no trânsito. Chega quase sempre em sua casa exausto,  sem tempo para se divertir com os filhos. Vai deitar e dorme com a televisão ligada, e ao dormir, sua esposa diz que ele ronca demais! Por essas e outras, João tem grande risco de virar diabético e sofrer ainda, possivelmente, um infarto.
Pedro tem 35 anos, está em forma, faz atividade física diariamente, não se estressa no trânsito com o congestionamento. Trabalha alegre  sabendo que depende desse trabalho para manter a família e quando chega em casa, brinca com seu filho, come bem e sem pressa, e dorme tranquilamente sem roncar.
Detalhe dos dois: Pedro ganha um terço do salário de João. Então se pergunta quem tem melhor qualidade de vida? Não é difícil adivinhar; ou seja, saúde e felicidade não dependem somente de  dinheiro, mas de outras coisas também.
Agora eu pergunto: Como está o seu dia a dia? Você está com saúde, dorme bem, alimenta-se normalmente, passa tempo com a família, exercita-se e, acima de tudo, tem prazer pela vida? Se você responder que sim, que bom!  Você com certeza é feliz e deve se esforçar para manter essas metas.

Fonte:
Revista “Saúde é Vital” – junho de 2015.
Dr. Alfredo Halpern,
médico Endocrinologista do Hospital das Clínicas.
+ Acréscimos.


Jc.
São Luís, 8/7/2015

Nenhum comentário: