sexta-feira, 21 de junho de 2013

ÁGUA, UM TESOURO DA NATUREZA





 A água no estado líquido cobre 70% da superfície do planeta. Deste total, 97% estão nos mares e oceanos, sendo águas de elevada concentração de sais, sobretudo de cloreto de sódio; 2% estão nas geleiras eternas (situadas nos polos e cordilheiras), e 1% nos rios, lagos e reservatórios subterrâneos. Da pequena parcela de água doce disponível, apenas 0,26% é indicada para o consumo humano. Neste contexto, o Brasil é um país privilegiado, pois possui entre 12 e 15% da reserva de água doce do planeta.
A água é um mineral constituído de dois átomos de hidrogênio (H) e um de oxigênio (O), formando a molécula H20. A despeito da simplicidade da molécula, as propriedades da água são, praticamente, ilimitadas, destacando-se a capacidade de dissolver um número significativo de substâncias, condição que a classifica como solvente universal. Esta propriedade é fundamental para o surgimento e a manutenção da vida. No sangue, por exemplo, várias substâncias, como sais minerais, vitaminas, açúcares, entre outros, são transportadas e dissolvidas na água. O corpo humano possui aproximadamente 80% de água.
Para atender a esta e outras inúmeras finalidades, a água é usualmente encontrada nos estados sólido, líquido e gasoso, passando facilmente de um estado físico para outro, conforme as circunstâncias e necessidades. O Ciclo da Água ou (Ciclo Hidrológico), é um movimento contínuo que vêm se efetuando ao longo das eras. Este Ciclo pode ser assim resumido: 1- a evaporação de águas líquidas (rios, lagos, lagoas, mares, regiões glaciais, lençóis de gelo, vegetais e transpiração dos animais) da superfície planetária que adquirem a forma de vapor d’água; 2- agregação dos vapores de água e formação de nuvens na atmosfera; 3- condensação dos vapores de água nas nuvens que ficam eletricamente carregadas; 4- esfriamento da atmosfera no local onde estão as nuvens; 5- precipitação da água das nuvens na forma de chuva; 6- retorno da água aos reservatórios naturais do Planeta, infiltrando-se uma parte no solo para formar e alimentar os lençóis freáticos (ou subterrâneos); 7- brotamento de águas subterrâneas para a superfície, nutrindo nascentes de fontes e rios.
Com o passar do tempo, o Ciclo da Água estabilizou-se, fornecendo condições ideais para o surgimento da biodiversidade das espécies. Entretanto, é lamentável constatar que, na atualidade, graves problemas interferem diretamente no funcionamento desse Ciclo, afirmam cientistas e estudiosos do mundo inteiro. Áreas imensas dos solos foram impermeabilizadas por construções de casas, calçadas e ruas asfaltadas nas grandes cidades. Reservas como piscinas, barragens, caixas d’água e cisternas impedem a infiltração da água no solo e o reabastecimento de aquíferos (grandes reservatórios de água que ficam em camadas profundas do solo).
 Associa-se a essa intranquila situação o uso indiscriminado (e excessivo) de água nas irrigações agrícolas e pecuárias, assim como no consumo individual e coletivo. Em razão da gravidade do assunto, a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), através da Resolução 47/193, de 21 de fevereiro de 19993, declarou o dia 22 de março, de cada ano, como o Dia Mundial da Água, integrando um dos itens da Agenda 21 – um dos principais resultados da conferência Eco-92, ocorrida no Rio de Janeiro, em 1992. Esse documento estabelece o compromisso de cada país refletir, global e localmente, sobre a forma pela qual governos, empresas, organizações não governamentais e todos os setores das sociedades poderiam cooperar na solução de problemas socioambientais.
O consumo abusivo de água é outro fator complicador. Por exemplo, na África o índice de disponibilidade de água é muito crítico, considerando que a média diária de consumo por pessoa, é de 10 a 15 litros, enquanto que na cidade de Nova Iorque um indivíduo chega a utilizar e consumir dois mil litros de água por dia. Um amplo processo de conscientização ecológica precisa ser desenvolvido no mundo, sobretudo quando se constata que 35% da população mundial têm escasso acesso à água. Pela educação, chegará o dia em que a mentalidade humana saberá preservar  a água como tesouro da Natureza e terá alcançado a compreensão de que a água, como fluido criador, absorve em cada lar, as características mentais de seus moradores... pode ser nociva nas mãos perversas, útil nas mãos generosas, e, quando em movimento, sua corrente não só espalhará bênção de vida, mas constituirá igualmente um veículo da Providência Divina, absorvendo amarguras, ódios e ansiedades dos seres humanos, lavando a casa material e purificando-lhes a atmosfera íntima.
Precisamos colaborar com a Natureza, e a melhor maneira é começar a poupar o líquido que nos é precioso, e para isso, vamos utilizá-la nas nossas necessidades, economizando o máximo possível. Nunca deixe a torneira   derramando água enquanto lava as mãos, utensílios e animais ou mesmo o chuveiro quando estiver banhando. Mesmo sabendo que é você mesmo quem paga a conta da água, lembre-se de ser fraterno com as outras pessoas que também necessitam desse precioso líquido para a existência. Sua colaboração é indispensável para que as pessoas do futuro, que bem podem ser seus filhos ou netos, possam também usufruir do benefício que a água proporciona a todos os que estão neste Planeta.
Mais informações sobre o assunto veja o artigo:  “A Água, os Alimentos e o Ar”.
Bibliografia
Marta Antunes Moura
Revista “Reformador” – 03/2013

Jc.
S. Luís, 20/6/2013

Nenhum comentário: