quinta-feira, 22 de novembro de 2012

OS FALSOS CRISTOS

OS FALSOS CRISTOS Os tempos são chegados em que grandes transformações serão efetuadas no mundo, gerando turbulências, sofrimentos e mortes; ocasião propícia para o aparecimento de falsos profetas, conforme nos alertou o Mestre Amado Jesus, quando disse: “Guardai-vos dos falsos profetas que vêm a vós, cobertos de peles de ovelhas, e que são por dentro lobos vorazes. Vós os conhecereis pelos seus frutos. Assim, toda árvore que é boa produz bons frutos e toda árvore que é má produz maus frutos. Guardai-vos de que alguém vos engane e seduza; porque vários virão usando o meu nome dizendo: “Eu sou o cristo”, e eles seduzirão a muitos. Porque se levantarão falsos cristos, falsos profetas e farão grandes prodígios e coisas de espantar.” Mateus 24:3 a 5 Atribui-se o nome de profeta, a uma pessoa que tem o dom de revelar o futuro. No sentido evangélico, a palavra profeta tem uma significação mais ampla: Diz-se de todo enviado de Deus, com missão de instruir as pessoas e lhes revelar os mistérios da vida espiritual. Todas as religiões tiveram os seus reveladores, que, embora não tendo conhecido toda a verdade, tiveram a sua razão, porque eram apropriados ao tempo e ao meio onde viveram exceto o Mestre Amado Jesus. Infelizmente, as religiões, em todos os tempos, foram instrumentos de dominação; por isso, se viu surgir multidão de pretensos reveladores e messias que, graças ao prestígio desse nome, exploraram e exploram até hoje, a boa fé e a credulidade dos povos, em proveito de si próprios, de sua ganância e de sua preguiça, achando mais cômodo, viver às custas dos sacrifícios de suas vítimas, inocentes úteis e servis, do que trabalharem para se manterem. Aos olhos dos ignorantes, todo fenômeno cuja causa é desconhecida, passa por sobrenatural, maravilhoso, milagroso. Porém, sendo a causa conhecida, o fenômeno não é outra coisa senão a aplicação de uma lei natural. Em todos os tempos, pessoas se dedicaram a explorar, em proveito próprio, de sua ambição e dominação, certos conhecimentos, a fim de darem a si mesmos, o prestígio de um poder supostamente sobre-humano, ou de uma pretensa missão divina. Por esses motivos, surgem muitos falsos profetas; principalmente, aqueles que, vendem os céus, para as pessoas na Terra, e fazem com a exploração de seus semelhantes, na Terra, o seu paraíso. Desconfiai daqueles que prometem curas, riquezas, amores e posições sociais. Esta recomendação é útil, sobretudo nos momentos de transição, como o que estamos vivendo, em que está acontecendo uma transformação da Humanidade, quando as pessoas sem fé consistente e desorientadas, são manipuladas e dirigidas por pretensos salvadores, ambiciosos de posses terrenas, que se apresentam como mensageiros, reformadores, profetas e procuradores, inclusive se autodenominando como o Cristo, e usando seu nome para fins escuso. É contra esses impostores que Jesus nos alerta, para nos mantermos em guarda. Ele mesmo disse: “Reconhece-se uma árvore pelos seus frutos!” - Uma outra consideração nos serve de alerta: A maioria dos verdadeiros missionários de Deus, ignoram-se a si mesmos; eles cumprem aquilo a que foram chamados a desempenhar, com humildade, com devoção, com sacrifícios, sem alardes, sem se apresentarem como tal, mas acabam sendo reconhecidos pelas suas obras; enquanto que, os falsos, se colocam eles mesmos como os enviados de Deus, sem procuração, orgulhosos e cheios de si, falando alto, como todos os hipócritas, temendo serem desacreditados. Fiquem certos, irmãos, de que Deus só confia missões importantes, aos que Ele elege e sabe capaz de cumpri-las, pelo seu grau de evolução. Esses mensageiros possuem bem altos as virtudes cristãs, como a Caridade, a Humildade, a Bondade, a Mansuetude, a Indulgência, o Amor, e o desprendimento dos bens terrenos. Temos como exemplos, Francisco de Assis, Madre Tereza de Calcutá, Ghandi, Francisco Candido Xavier, que sempre atendeu aos seus irmãos necessitados e humildes, durante a sua existência, sem usufruir de nenhuma vantagem financeira, inclusive as mais de 406 obras literárias, doou os direitos autorais para as obras assistenciais. Quando João Batista enviou a Jesus seus discípulos para lhe perguntarem se ele era o Cristo, Jesus não disse: “Eu o sou.” Também não lhes falou de prodígios nem das curas maravilhosas; lhes respondeu simplesmente: “Ide dizer a João: Os cegos vêem, os enfermos são curados, os surdos ouvem, e o Evangelho é anunciado aos pobres.” Isto era como dizer-lhes: “Reconhecei-me pelas minhas obras; julgai a árvore pelos seus frutos.” O caráter da revelação divina é o da eterna verdade. Assim é que a lei do Decálogo, ou os Dez Mandamentos, tem todos os caracteres dela e permanece como o farol da Humanidade, enquanto as demais leis de Moisés caíram em desuso. O Cristo fez do Decálogo, a base dos seus ensinamentos, enquanto aboliu as demais leis mosaicas. A Humanidade, hoje, também tem os seus profetas designados como Espíritos Superiores que assistem os seres humanos e nos afirmam que está próximo o triunfo do bem na Terra, apesar das tragédias, da violência e dos entraves que se lhes opõem, por ser uma obra de Deus, delegada a eles e aos seus auxiliares. “Tenho ainda outras ovelhas que não são deste aprisco; é necessário também que eu as conduza; elas escutarão a minha voz, e não haverá senão um só rebanho e um só pastor”, disse Jesus. O que mantêm o antagonismo entre as religiões, é a idéia que elas têm, cada uma, de que o seu Deus é particular; possuem a pretensão de ter o único, verdadeiro e mais poderoso. Quando todas elas estiverem convencidas de que há apenas um Deus no Universo, seja Ele, Jeová, Allá, God, Brahma, Deus; elas se harmonizarão como servidoras de um Senhor e filhas de um mesmo Pai. Quanto aos falsos Cristos, nós os descobriremos pelas suas palavras e suas ações, e eles são muitos. Para não nos tornarmos muito longo, citaremos alguns desses elementos: 1- Ernest L. Norman, fundou a Academia de Ciências Unarius em 1954 junto com a mulher. Dizia que foi Jesus numa vida passada, além dos filósofos Confúcio e Sócrates. Norman morreu em 1971. - 2- José Luis de Jesus Miranda, conhecido por seus adeptos como “Papai”. A vida dele mudou em 1973, no dizer dele, dois espíritos avisaram que Deus entraria em seu corpo, assim como teria acontecido com Jesus, há 2 mil anos. Ao fundar a igreja Creciendo em Gracia, o porto-riquenho virou “Jesus Cristo Homem”. 3- Jesus Rastafari (Hailê Selassié 1º) Regente e depois imperador da Etiópia, até antes de morrer em 1975, criou a religião Rastafari e seus discípulos o viam como a encarnação de Jah (Deus) ou a reencarnação de Jesus. 4- Jim Jones criou a seita People’s Temple (Templo das Pessoas). Em 1978 mais de 900 pessoas, incluindo ele, cometeram suicídio. Ele ganhou fama entre seus adeptos como sendo Jesus, mas depois admitiam ser ele Cristo reencarnado. 5- Álvaro Thais (Inri Cristo) diz que ouve uma voz desde os 5 anos de idade. Aos 31 anos, jejuou por 4 dias. Foi quando Deus abriu o jogo, lhe dizendo que ele era Jesus e deveria mudar seu nome para “Inri Cristo”. Em 1982, juntou uma multidão em Belém e foi até uma igreja e arrancou uma figura de Jesus da cruz e atirou no chão – passou um mês preso como desordeiro. Vive numa confortável chácara em Brasília onde fica a sede da Suprema Ordem Universal da Santíssima Trindade. 6- Wayne Bent, conhecido como Michael Travesser, entre seus seguidores, previu o fim do mundo em 2007. Em 2000 ouviu Deus dizer a ele: “Você é o Messias!”. Sob o suposto comando de Deus, pediu que algumas discípulas tirassem a roupa e passou a apalpá-las; acabou na prisão. Tempos depois, transou com duas de suas fiéis por ordem divina. Ao ouvir esses relatos, a polícia agiu e ele foi condenado a 10 anos de prisão, em 2008. Por ora, vive sua própria via crucis numa cela. 7- Sergei Torop, anteriormente era guarda de trânsito, com a crise, perdeu o emprego e despertou: era Jesus! Adotou o visual do messias e passou a difundir o seu livro “O Último Testemunho do Cristo”. Tratado como “O professor”, ele orienta as esposas a aceitar outra mulher na casa. 8- Shoko Asahara, líder da seita Verdade Suprema, arquitetou o atentado terrorista no metrô de Tóquio em 1995. O plano era provocar uma guerra e aumentar sua influência no país. Ele dizia ser a reencarnação de Shiva, um deus hindu, Buda e Jesus. Acusado de 13 crimes, foi condenado à forca em 2004. 9- Marshall Applewhite se diz o espírito de Cristo que voltou à Terra. Numa experiência de quase morte, descobriu as ligações extraterrestres da alma. Ao sair do coma, ele começou a procurar as almas que teriam chegado na nave de “Do” e que se dispersaram ao pousar. O culto buscava a volta ao planeta original. Em março de 1997, quando o cometa Halle-Bop se aproximava da Terra, 39 pessoas, incluindo ele, tomaram uma dose letal de barbitúricos com molho de maçã, pudim e vodca. 10- David Shayler é uma figura atípica. Numa viagem com cogumelos alucinógenos, em 2007, que um espírito apareceu e deu a notícia. Antes, fora agente secreto britânico. Hoje, ele anuncia o fim do mundo para 2012. O seu grupo costuma invadir as casas sem querer pagar pela moradia e ele curte se vestir de mulher e se diz ser Jesus. Esses são os Cristos falsos e muitos outros, de quem falou Jesus. A revista “Família Evangélica”, em sua edição de nº 6, que publica um artigo, escrito certamente por um pastor decente e íntegro, como existem outros, em que aborda a questão da exploração da fé, por parte de alguns gananciosos pastores, que são classificados como verdadeiros pilantras, ou falsos pastores. Eis o que diz parte da matéria: “Um pastor vê uma propriedade grande, bonita, e, desejando adquiri-la para expansão da sua igreja, resolve aumentar os dízimos da igreja, propondo aos fiéis o seguinte: Desafia os membros da igreja a aumentarem os seus ganhos mensais “pela fé”. E então explica aos fiéis como fazê-lo. Se alguém ganha um salário de 500 reais e paga 50 reais de dízimo, mas deseja ganhar de salário 2.000 reais, deve imediatamente passar a dar o dízimo sobre essa quantia, ou seja, passar a pagar 200 reais. Mas, se a pessoa pretende ganhar não apenas 2.000, mais sim 5.000 reais, deve então começar a pagar o dízimo de 500 reais, que representa o salário atual do membro.” Assim fazendo, o crente dessa igreja logo estará no “céu”, porque deu todo o salário e acabou morrendo de fome. Sobre o mesmo assunto foi publicado no jornal “O Estado do Maranhão”, edição de 18/10/1998, um artigo do pastor Valdeci, da Igreja Universal do Reino de Deus, do Canto da Fabril, na cidade de São Luis, que declara o seguinte: “Deus não pode dar nada de graça. Dê a Ele que Ele te dá em dobro, amem”, e outras mais considerações, conclui o artigo do jornal. Esse “dê a Ele”, significa: Dê dinheiro para Deus, que corresponde a envelopes distribuídos às pessoas, para que elas coloquem no envelope os pedidos que desejam fazer a Deus. Só que, junto com os pedidos, o crente deve colocar a quantia de mil, quinhentos ou duzentos reais. O pastor, não contente em pedir uma quantia grande para os fieis, a maioria pobres, vai baixando o valor até que todos tenham dado o que têm; mais o dízimo de 10% que é dado todo mês, e mais; as doações voluntárias durante o culto, que partem de 50 reais até chegar a um real. Observemos que, se é assim como ele diz; se Deus cobra para fazer algum benefício, esse templo caracteriza-se como um estabelecimento comercial. São os atuais vendilhões do templo que Jesus expulsou outrora, por estarem fazendo da casa de orações, um local de compra/venda. Diz-se até que é o único ramo de comércio que não tem crise. Talvez seja por essa razão que a revista ‘Veja”, recentemente publicou uma reportagem intitulada: “Igreja Universal na mira da Receita Federal”. Diz à matéria que nos últimos vinte anos, o governo federal vem fazendo investidas para tentar esclarecer, quanto dinheiro circula pelos templos da Igreja Universal, do bispo Edir Macedo, e o que exatamente é feito com todo esse dinheiro. Declarações de pastores dizem: “Quem não consegue aumentar a arrecadação da igreja, em pelo menos 25% por mês é mandado embora ou punido.” Outro pastor apresentou documentos em que consta a figura do pastor comissionado. Tudo isso atesta a ambição de “falsos profetas” pelos bens terrenos e cargos importantes, como a bancada dos protestantes que já consta de vários deputado federais. Por essas atitudes contrárias aos ensinamentos de Jesus, não estão eles credenciados a falar em nome de Deus. Deixando de lado o aspecto da exploração feitas pelos ditos pastores, que responderão pelas suas ações perante a Justiça Divina; falemos dos seus fiéis, pessoas inocentes-úteis, ignorantes dos ensinos de Jesus, contidos no “Novo Testamento” que carregam consigo onde se lê: “Daí de graça o que de graça haveis recebido” e “Não façais como os escribas que sob o pretexto de longas orações, devoram as casas das viúvas”. E o que isso quer dizer? – Que não devemos cobrar e nem pagar pelos dons que Deus concede às pessoas. Deus não vende a misericórdia, nem o perdão, nem a entrada no Reino dos Céus. Ele a concede a todos, inclusive os pobres para que estes não venham a dizer que não foram beneficiados porque não puderam pagar. “O que quer que seja pedido na oração, crede que o obtereis e vos será concedido”, disse Jesus. Portanto, Deus sendo a perfeição absoluta, não delega a criaturas imperfeitas, o direito de pôr preço na Sua bondade, misericórdia e justiça. Se esses pobres fiéis acham que Deus que criou o Universo, precisa do vil metal, para que elas possam conseguir as graças divinas, e preferem continuar fanatizadas, cegas e exploradas na sua boa fé; isso é lá com elas... porque nós sabemos que essas graças são conquistadas pelo conhecimento, pela fé consistente e principalmente pelo exercício da caridade e do amor ao nosso próximo. Agora, dizer que Deus não dá nada de graça a ninguém, é uma blasfêmia, um desrespeito para com o Pai Criador de infinita bondade, amor, justiça e misericórdia. Vejamos como é maravilhosa a maneira como Jesus nos faz ver a Providência Divina cuidando da Sua criação. Desde a pequenina e tenra semente, passando pelas aves e animais, indo até o ser humano, tudo é cuidado com muito amor pelo nosso Pai Celestial. Ninguém é órfão ou está desamparado, declarou Jesus. Deus nos deu a Terra para moradia; nos dá o dia e a noite, o sol e a chuva, o ar que respiramos, a brisa que nos refresca; os peixes dos mares e rios, os vegetais, os minerais, os cereais e as árvores que nos fornecem os alimentos. Sabemos muito bem que o lavrador planta e cuida, mas e o resto? - A germinação, o crescimento, a floração e a frutificação, são obras de Deus. Jesus nos fez ainda um alerta: “Fazei o bem aos que vos odeiam, orai pelos que vos caluniam a fim de serdes filhos de vosso Pai que está nos céus; que faz se levante o sol para bons e maus, e chova para justos e injustos.” Quanto pagamos para Deus por tudo isso e o mais que recebemos? Nada... Será que Deus, o criador do Universo e de todas os seres e coisas, vai precisar do vil metal dos seres humanos? – Ou é a maneira dos falsos profetas de usarem o nome de Deus, para enganarem as pessoas e até a própria consciência, visando as posses terrenas, que na verdade, pertencem a esse mesmo Deus? Relembro as palavras de Jesus, quando disse: “Guardai-vos dos falsos profetas e missionários que vêm a vós, cobertos de peles de ovelhas, e que são por dentro lobos vorazes. Vós os conhecereis pelos seus frutos, e toda árvore má produz maus frutos.” Finalizando esta exposição sobre os falsos profetas, quero deixar bem claro que não tive a intenção de julgar ninguém, nem religião nenhuma, porquanto não tenho qualificação para tal, e também porque nós sabemos que toda religião verdadeira, ensina o caminho para Deus. Apenas comentei o que foi dito em revista e jornais, conforme reportagens publicadas, e também me servi de declarações dos Espíritos Superiores que se manifestaram sobre o assunto, cujos textos estão nos livros “Evangelho Segundo o Espiritismo” e “A Gênese”, e expus minha opinião sobre essas pessoas, que se investem de uma função, para ofender o Nosso Pai Celestial de Infinita Bondade, Amor e Misericórdia. Serve esta exposição, apenas para que as pessoas meditem sobre o assunto e como alerta para os menos avisados. Que a Paz do Senhor esteja em nossos corações e ilumine o nosso entendimento. Bibliografia: “Novo Testamento” Jc. S.Luis, 28/10/1998.

Nenhum comentário: